quinta, 25 de janeiro de 2018 - 09:49h
Sims fiscaliza vendas de apartamentos no Conjunto Habitacional Macapaba
Se comprovada a venda, o proprietário pode perder o imóvel.
Por: Phillippe Gomes
Foto: Arquivo Secom
Venda dos imóveis é expressamente proibida pelo contrato assinado entre os beneficiários e a Caixa Econômica Federal

A venda de qualquer apartamento do Conjunto Habitacional Macapaba é ilegal. A determinação está exposta no contrato que os beneficiários assinam, junto à Caixa Econômica Federal, antes de receberem a moradia. Diante disso, a Secretaria de Estado da Inclusão e Mobilização Social (Sims) tem realizado visitas nos apartamentos, que estariam sendo vendidos pelos proprietários por meio de anúncio nas redes sociais.

A gerente geral de Projetos e Programas Habitacionais da Sims, Paulenice Silveira, esclarece que secretaria tem tomado providências em relação às denúncias. Segundo ela, as mais comuns são de invasão, venda, alugueis e desocupação dos apartamentos.

“A Sims monta uma equipe técnica que faz as visitas sociais e conversa com esses proprietários para saber se procede ou não a denúncia. Posteriormente, nossos técnicos conversam com essas pessoas para saber os reais motivos da venda desses empreendimentos”, destacou a coordenadora Paulenice Silveira.

Paulenice explicou, ainda, que após as visitas sociais os técnicos da Sims encaminham relatórios com todas as informações referentes às inspeções para a Justiça Federal e Caixa Econômica Federal. De acordo com a coordenadora, o proprietário corre o risco de perder o imóvel, caso haja a confirmação de venda. “Nosso papel é de prestar as informações aos órgãos competentes. As providências cabíveis são tomadas pela Caixa, que é a detentora dos apartamentos”, concluiu.

NEWSLETTER

Receba nossas notícias em seu e-mail ou celular.

SIMS - Secretaria de Inclusão e Mobilização Social
Av. Procópio Rola, s/n Bairro: Centro CEP - 68.900-000 - (96) 3210-3404 - sims@sims.ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2018 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá